Acessar área restrita: | Esqueci a senha | Relatar problema no login

Diretoria Executiva do SITESP parabeniza os TEFEs por seu comprometimento junto à SEFAZ

TEFE Mutirão

Considerando o sucesso dos programas Especiais de parcelamento de dívidas do Estado de São Paulo, SITESP parabeniza todos os Técnicos que demonstraram sua capacidade e seu comprometimento perante a Secretaria da Fazenda e a população do Estado de São Paulo.

Nota SITESP Mutirão

12 Respostas para Diretoria Executiva do SITESP parabeniza os TEFEs por seu comprometimento junto à SEFAZ
  1. FABIO TRINDADE GUERREIRO disse:

    Não esperem mais que isso dos Afrs. Não sou pessimista, apenas realista, se nós ganharmos importância eles perdem, simples assim, vejam o exemplo da Receita Federal, os Auditores perderam muito poder com a “promoção” dos Técnicos para Analista.

    • SAMUEL PAULO VIANA DA SILVA disse:

      Fabio,

      Não Foram 2 Bi, conforme está escrito nessa carta, e sim 7 Bi de Arrecadação parcelados. Chegando com dados errados já deixa a carreira com descrédito. Não conhecem a SEFAZ. A arrecadação diária continua caindo. Somente nesse mês o acumulado é de (-657.110.842,68) em relação a previsão. Não são com esses argumentos que a carreira vai conseguir. Tudo bem que os carnês venceram ontem. Dessa maneira somente a carreira que faz o lançamento do crédito é que fica com os créditos. Mas fiquem tranquilos, não vou atrapalhar com minha opinião. Segue o enterro.

      SEFAZ-SP Notícias
      Acordos do PEP e do PPD celebrados durante o Concilia SP ultrapassam R$ 7,4 bilhões
      A Secretaria da Fazenda e a Procuradoria Geral do Estado fecharam balanço sobre os acordos do Programa Especial de Parcelamento (PEP) do ICMS e Programa de Parcelamento de Débitos (PPD) firmados durante o Concilia SP, que ofereceu aos contribuintes condições especiais para regularização débitos em execução fiscal.
      Durante o evento, realizado em todo o Estado de São Paulo de 1º a 15º de dezembro, o PEP registrou o total de 11.552 adesões no período, que representam R$ 7 bilhões em débitos a ser regularizados com benefícios de redução no valor das multas e dos juros. O PPD, por sua vez, teve 60.694 adesões que somam o total de R$ 428,7 milhões em débitos a ser regularizados. Veja nas tabelas abaixo:

      Resumo de Adesões PEP do ICMS 2015

      Quantidade total de adesões PEP
      11.552
      Valor total de adesões com benefícios
      R$ 7.027.331.395,26

      Parcelas
      Adesões
      Valores
      Parcela Única
      2.806
      R$ 694.624.941,66
      De 2 a 24 parcelas
      3.289
      R$ 225.460.624,73
      De 25 a 60 parcelas
      3.048
      R$ 1.573.515.210,73
      De 61 a 120 parcelas
      2.409
      R$ 4.533.730.618,14
      Total
      11.552
      R$ 7.027.331.395,26

      Resumo de Adesões PPD 2015

      Quantidade total de adesões PEP
      60.694
      Valor total de adesões com benefícios
      R$ 428.771.408,06

      Parcelas
      Adesões
      Valores
      Parcela Única
      33.394
      R$ 267.513.335,00
      De 2 a 24 parcelas
      27.300
      R$ 161.258.073,06
      Total
      60.694
      R$ 428.771.408,06

      Benefícios do PEP do ICMS
      O PEP do ICMS possibilitou ao contribuinte regularizar débitos fiscais em atraso em parcela única, com redução de 75% no valor das multas e 60% no valor dos juros incidentes sobre o imposto e multa, ou parcelado em até 120 meses, com redução de 50% no valor atualizado das multas e juros 40% menores.
      Benefícios do PPD – IPVA/ ITCMD
      O Programa de Parcelamento de Débitos (PPD) foi realizado para que o contribuinte pudesse recolher ou parcelar dívidas judiciais de IPVA, ITCMD, taxas de qualquer espécie e origem, taxa judiciária, multas administrativas de natureza não-tributária, multas contratuais e multas penais. As regras do PPD asseguraram aos contribuintes a oportunidade de quitar débitos com redução de 75% no valor das multas e de 60% nos juros nos casos de pagamento à vista.
      Nas adesões feitas para parcelamento, os débitos tributários e não tributários serão pagos em até 24 vezes. Na regularização em parcelas há redução de 50% nas multas e 40% nos juros de dívidas do IPVA, ITCMD e demais taxas e multas administrativas, contratuais e penais. O PPD permitiu a inclusão de dívidas decorrentes de fatos geradores ocorridos até 31 de dezembro de 2014.

  2. JOÃO HENRIQUE ALESSANDRO DA SILVA disse:

    PARABÉMS QUEM TINHA QUE DAR ERA A FAZENDA, NÃO O SINDICATO, DESCULPE MINHA MODÉSTIA DA MINHA OPINIÃO; ELES QUE TEM QUE RECONHECER O NOSSO TRABALHO QUE NUNCA FOI RECONHECIDO POR ESSA CÚPULA DE MEIA DÚZIA MAL INTENCIONADA COM A GENTE, PARECE QUE ESSA CLASSE DE AFRs, são os BAMBÃ; BAMBÃ, BAMBÃ E NÓS OS TEFES, OS BUMBUM, BUMBUM DA HISTÓRIA DESTA FAZENDA. ABRAÇOS Á TODOS.

  3. FERNANDO CESAR DE M. FREIRE disse:

    O sinafresp divulgou em seu site (http://sinafresp.org.br/acordos-do-pep-e-do-ppd-celebrados-ultrapassam-r-74-bi/) que o resultado do PEP/PPD foi em consequência da ação dos AFRs que trabalharam nesse período para o programa alcançar o sucesso que supostamente alcançou. Todos sabemos que a adesão ao PEP não dependeu em nada de interferência direta de algum servidor da fazenda, pois o contribuinte/contador o fazia direto pela internet com a senha do PFE. E quanddo esse não a possuia ia ao balcão de atendimento dos Postos Fiscais e unidades afins e com o trabalho de um TEFE obtinha uma senha para acesso. Mesma coisa com o PPD que atendeu ao cidadão comum e que dependia da senha da Nota Fiscal Paulista para acesso ao programa durante o período de 01 a 15/12 das 08h às 18h ininterruptamente, inclusive nos dois finais de semana (05, 06 e 12, 13/12) nos plantões fiscais.
    Sou da opinião que a Presidente do SINAFRESP deve rever sua posição e se retratar diante das classes e junto a SeFaz e também da opinião pública de que o trabalho executado durante o PEP/PPD dependeu arduamente do esforço dos TEFEs com o apoio de retaguarda dos AFRs.

    • DENIS ALVES DE OLIVEIRA disse:

      Olá Fernando.

      Isso é o que chamamos de “puxar a sardinha pra própria brasa”. Os AFRs falaram deles e não de nós… tudo dentro do normal.

      Eles não têm que se colocar ao nosso lado, lembrar de nós ou coisa parecida. A luta deles é distinta da nossa (e muito). Ganham muito e querem mais.

      Se Governador eu fosse… jamais daria a eles o que pedem. Muitos e muitos AFRs tem remuneração superior ao subsídio do Alckmin.

      Nós queremos o que nós é de direito e justo dentro da importância que temos na Fazenda.

      Vejo muita gente preocupada com o que os AFRs estão postando no site deles ou “pagando” em revistas.

      Ouvi dizer de “matéria” da Época. Nada disso… foi um informe publicitário, pago. Pesquisei notícias, no site deles, e achei outro informe do mês de maio. Esse tipo de marketing não é de agora…

      Para mim não faz diferença alguma… só blá blá blá deles que não impressiona o Governo, muito menos tem impacto na mídia…

      Meus vizinhos aqui não estão preocupados com os AFRs… nem sabem que existem… entendeu? Pro Governo é a mesma coisa… os AFRs são servidores que constam nas planilhas como ganhando “muito bem”. Só isso!

      Nosso “FOCO” tem que ser a cobrança em cima da Administração daquilo que teremos. Vejo como total perda de tempo ficar ponderando sobre o que os AFRs estão falando…

      O tempo que muitos gastam com isso deveria ser usado para cobrar o Joaquim daquilo que até agora ele não conseguiu, afinal, ele não preferiu confiar na Administração? E conversar… conversar… conversar…

      Quero saber é de pressão pra cima do Governo…

      Só conversar não adianta… o que estamos presenciando é apenas aquilo que o Governo sempre fez: enrolar….

      Abraço.

  4. EFRAIN ROCHA SOBREIRA ROCHA SOBREIRA disse:

    Inacreditável que o Sinafresp divulgue em seu site que as adesões do Concilia foram feitas pelos AFRs. Só aqui em Ara

  5. MARIA CIBELE DE SIQUEIRA disse:

    Vão publicar aonde esse texto?

  6. IVANA ANGÉLICA MAZZINI SILVA GOMA disse:

    Parabéns!!!!!!!!

Deixe uma resposta