Acessar área restrita: Login | Esqueci a senha | Relatar problema no login

Considerações sobre possíveis mobilizações dos TEFES

Prezadas(os) Colegas TEFEs, ontem (07/04), fomos procurados por um representante do SINAFRESP propondo nossa participação no evento programado pelos colegas AFRs para o próximo dia 10 (sexta-feira).

Considerando que aquela entidade já foi recebida pelo Sr. Secretário neste ano e que há um posicionamento da SEFAZ quanto à pauta de reivindicações por eles apresentada, e que a Diretoria Executiva do SITESP, participará de audiência com o Sr. Secretário em 15/04 (próxima quarta-feira), para apresentar a pauta de reivindicações dos TEFEs ,aprovada em AGE realizada na cidade de Ribeirão Preto (21/03/2015), apresentamos as seguintes considerações:

  1. No entendimento desta Diretoria Executiva não é o momento de realizarmos mobilizações de qualquer natureza nas unidades da SEFAZ, tendo em vista que, em cinco (5) dias úteis estaremos reunidos com o Dr. Renato Villela;
  2. O SITESP não poderá garantir que não haverão punições aos TEFEs não sindicalizados (que ainda são a maioria), que participarem de qualquer ato de mobilização, infelizmente;
  3. Não temos representação sindical em todas as DRTCs e em algumas Unidades Fazendárias Regionais, o que não permite uma ação (seja ela qual for), coordenada uniformemente entre nossas unidades, o que poderia ser interpretado como “demonstração de desorganização”.


Na audiência de 15/04, além de apresentarmos ao Sr. Secretário nossa pauta aprovada, serão abordados os temas BR, promoção / progressão, aplicação dos dispositivos da LC 1251/14 para os inativos.

Esta Diretoria Executiva, tem acompanhado todos os processos referentes à carreira TEFE, no entanto, é necessário termos cautela com nossos passos até que seja de nosso conhecimento aquilo que a SEFAZ pensa sobre o futuro de seus TEFEs.

A partir do momento que passarmos a conhecer aquilo que nos espera, poderemos sim planejar e coordenar adequadamente as ações que poderão ser adotadas com vistas a valorização da carreira TEFE.

Diretoria Executiva do SITESP

12 Respostas para Considerações sobre possíveis mobilizações dos TEFES
  1. HAMILTON SOARES DE SOUZA LIMA SOARES DE SOUZA LIMA disse:

    conquistar a confiança dos técnicos perdido no passado fortalecendo o sindicato.

  2. MARIA TOSHIKO AMANO disse:

    Perseverar…caminhando prá frente, devagar e sempre, SEMPRE.

  3. MARLI ELENA CAMPANATI disse:

    Concordo com os colegas, principalmente no que se refere a cautela. Devemos ir primeiramente pelo diálogo p/ não corrermos o risco de nossos representantes ficarem plantados na SEFAZ sem ser recebidos como acontecia num passado bem remoto. Acho tbém que o sindicato deve fazer uma chamada geral p/ as filiações pq todos usufruem das vantagens e, portanto, têm obrigação de ajudar a manter as custas inerentes ao funcionamento do mesmo.

  4. EHDERZY DOS SANTOS ALVES disse:

    ATENÇÃO
    JUSTIÇA DETERMINA REAJUSTE RETROATIVO DE 5 ANOS A SERVIDORES:
    FONTE: MATÉRIA DO ESTADÃO.

    Ação pode provocar um gasto de até R$ 3 bilhões para a Prefeitura de São Paulo, segundo o sindicato da
    categoria
    A Justiça de São Paulo determinou que a Prefeitura conceda um reajuste retroativo dos últimos cinco anos para todos os servidores
    municipais da capital, em uma ação que pode provocar um gasto de até R$ 3 bilhões, de acordo com cálculos do sindicato da categoria.
    A previsão leva em conta uma perda de 31,64% de 2007 a 2012, com os atrasados do período, sobre uma estimativa de folha de
    pagamento de R$ 10 bilhões.
    A Procuradoria­Geral do Município afirmou que recorrerá da sentença. A ação civil pública foi proposta pelo Sindicato dos
    Trabalhadores na Administração Pública e Autarquias do Município de São Paulo (Sindsep), sob argumento de que a Prefeitura não
    cumpriu um dispositivo previsto na Constituição Federal desde 1998. Pelo artigo, todos os servidores públicos têm direito a um reajuste
    anual.
    Algumas classes de servidores receberam reposições salariais, mas a maioria teve apenas “aumentos simbólicos”, entre 0,01% e 0,1%. Já os
    professores da rede municipal, em maio do ano passado, passaram a receber 10,19% a mais.
    Segundo a decisão da 8.ª Vara da Fazenda Pública, o reajuste determinado pela ação deverá descontar os ganhos já incorporados pela
    Prefeitura. A juíza Simone Viegas de Moraes Lemes mandou usar o Índice Nacional de Preços do Consumidor (INPC). O cálculo do
    sindicato previa o Índice de Preços ao Consumidor do Município de São Paulo (IPC­Fipe), que representa cerca de 29% no período e,
    segundo a entidade, é o porcentual aplicável por lei.
    Segundo a Procuradoria­Geral do Município, a sentença deverá ser suspensa até a apelação ser julgada pelo Tribunal de Justiça de São
    Paulo.
    Constitucionalidade. Enquanto os funcionários do Município exigem a reposição salarial, um recurso de um servidor do Estado de
    São Paulo tenta obter uma indenização por falta de revisão anual no Supremo Tribunal Federal (STF). O julgamento está suspenso desde
    2011 para análise da ministra Carmen Lúcia. O relator, ministro Marco Aurélio, deu parecer favorável para que os servidores sejam
    indenizados por não terem um aumento anual em seus vencimentos. A ação do servidor estadual poderá ser referência no julgamento da
    atualização de salários também para os agentes públicos do Município e União.
    Em 2001, o Supremo julgou uma ação declaratória de inconstitucionalidade por omissão proposta contra o Estado em 1999. Os ministros
    consideraram que o Executivo deveria apresentar uma lei prevendo os reajustes anuais. Apesar desse precedente, vários servidores do
    Estado de São Paulo entraram com ações julgadas pelo Tribunal de Justiça.
    J

  5. rubens pinheiro de almeida pinheiro disse:

    Devemos também angariar a BR aos inativos, já que os AFRS inativos recebem a PR….

  6. EHDERZY DOS SANTOS ALVES disse:

    Concordo com a coléga. Podemos apoiar os colégas AFRs em suas lutas, mas desamparar a nossa não podemos. Claro que é evidente que apoiamos qualquer classe a ter melhorias…
    Devemos voltar as nossas negóciações, acordar os demais colégas TEFEs para nossa luta. Leiam e debatam a PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO N.º 391-A/2014, OBSERVAMOS QUE NÃO PODEMOS MAIS FICAR EM NOSSO “MUNDINHO”…”DENTRO DA CASA DE CARACOL”. VEJA A OUTRA CATEGORIA JÁ ESTÃO TOMANDO PROVIDÊNCIAS…LEIAM O TEXTO ABAIXO.

    O deputado Ed Thomas (PSB) recebeu dois AFRs, Conselheiros do SINAFRESP.
    6 – São Paulo, 125 (63) Diário Oficial Poder Legislativo quinta-feira, 9 de abril de 2015

    Encontro com agentes fiscais de renda

    Da assessoria do deputado Ed Thomas

    Mobilizados desde janeiro na luta pela conquista do teto remuneratório, revisão do cálculo da cota e das perdas salariais desde 1999, agentes fiscais de renda do Estado de São Paulo buscaram apoio do deputado Ed Thomas (PSB). O encontro aconteceu, no dia 30/3, em Presidente Prudente, com os representantes da categoria Márcio França Teixeira e Michele Ferreira. A categoria se mostra descontente com o descumprimento do acordo firmado no ano passado com o governo do Estado. A categoria realiza operação padrão, “pela qualidade do serviço, execução de procedimentos previstos em lei e execução de atividades de maneira minuciosa”.

    No dia 10/4, os agentes fiscais de renda fazem uma nova doação de sangue em hospitais, com dois objetivos: chamar atenção do governo com uma ação solidária que demonstra união da categoria e reduzir a presença de servidores nas unidades fazendárias do Estado.

    A categoria recebe um dos menores salários do país, comparados aos de agentes de outros Estados, e luta também pela aprovação da PEC 186, que garante autonomia para a administração tributária e seus servidores.

    edthomas@al.sp.gov.br

    • Marisa Rodrigues de Oliveira Sousa Sousa disse:

      Ehderzy, tudo isso aconteceu aqui na nossa regional (Presidente Prudente). O deputado Ed Thomaz é um dos deputados da nossa cidade, uma vez que o deputado Mauro Bragato (PSDB) nada tem feito pela categoria.
      Graças a Deus, somos bem “politizados” e temos o conhecimentos dos fatos. Conversamos abertamente com a categoria de AFRs e sabemos de suas reivindicações. Temos mais um problemas, a terceirização (sinal verde para o fim de concursos públicos) que pode ser aprovada na calada da noite no Congresso Nacional.
      Participei ativamente em 2013 e 2014 de várias “reuniões” junto ao gabinete do Secretário da Fazenda & Cia Ltda. A única coisa que conquistamos após várias e exaustivas reuniões, foi a aprovação do PLC que concedeu uma letra extra a todos os TEFEs que foi prometido a partir de 01/01/2014 e saiu a partir de 01/08/2014. Reuniões é o primeiro contato, serve apenas para os politicos realizarem suas alianças. Aos funcionários públicos resta conhecer os fatos e “batalhar” de todas as formas para angariar melhorias significativas.

  7. ANA MARIA DELCI disse:

    Eu concordo que agora não é a hora de participarmos de mobilizações, aliás, em momento algum deveria acontecer. TUDO É POR POLITICA… E ACREDITO QUE O CAMINHO, MESMO SENDO O MAIS LENTO E EXAUSTIVO, SEJA O DAS REUNIÕES, NEGOCIAÇÕES, PETIÇÕES, etc., visto que, em todos estes anos de luta, já passamos por algumas “greves”, inclusive para “ajudar” as greves de outras carreiras, nada conseguimos de positivo, salvo desconto em folha de pagamento pelo não comparecimento ao serviço.
    Outro detalhe importante: A MAIORIA DOS TEFES NÃO ESTÃO SINDICALIZADOS!! A CLASSE APARENTEMENTE AINDA NÃO ESTÁ UNIDA…

Deixe uma resposta